Replicação Semiconservativa do DNA

O DNA possui a capacidade de originar cópias de si mesmo, através de um processo designado por replicação. Este processo assegura tanto a produção de células geneticamente idênticas como a passagem da informação genética ao longo das gerações, em todos os organismos.

A replicação tem lugar no interior do núcleo das células, nos eucariontes, e no citoplasma, nos procariontes. O processo inicia-se pela ligação à molécula do DNA de um complexo enzimático, a DNA-polimerase. Este complexo desfaz a dupla hélice e destrói as pontes de hidrogénio, provocando à sua passagem a separação das duas cadeias antiparalelas. À medida que as duas cadeias se separam, a DNA-polimerase vai ligando a cada uma das cadeias os nucleótidos complementares, de acordo com a complementaridade das bases azotadas. Cada cadeia nucleotídica da molécula antiga serve assim de molde à nova cadeia antiparalela que se vai formando à passagem do complexo enzimático. No final deste processo obtém-se duas moléculas de DNA exactamente iguais, com os nucleótidos dispostos na mesma sequência em que estavam dispostos na molécula original. Cada uma das moléculas fica com uma das cadeias da molécula original que serviu de molde. Este processo é designado por replicação semiconservativa.