Neodarwinismo

O desenvolvimento dos conhecimentos de genética no estudo das populações de seres vivos e as novas descobertas sobre hereditariedade permitiram reinterpretar a teoria da evolução de Darwin, sintetizando e correlacionando os diversos conhecimentos das áreas da genética, da citologia e da bioquímica.

Dessa síntese surgiu, em meados do século XX, uma teoria evolucionista mais consistente que ficou conhecida como teoria sintética da evolução ou neodarwinismo, que pode resumir-se nos seguintes aspectos:

  • Os cromossomas são as estruturas que transportam os genes responsáveis pelo desenvolvi­mento dos caracteres do indivíduo.
  • A ocorrência de mutações, génicas e cromossómicas, aumenta a variabilidade genética, podendo conduzir ao aparecimento de novos genes responsáveis por novas características.
  • A meiose, durante a qual ocorre a separação dos cromossomas homólogos e o crossing-over. conduz ao aparecimento de novas combinações genéticas nos gâmetas.
  • A fecundação dá origem a uma descendência com múltiplas combinações genéticas, o que se reflecte numa elevada variabilidade de características (variabilidade intra-específica).
  • A selecção natural actua sobre a grande variedade de descendentes dentro da população. que é assim influenciada pelo meio ambiente.
  • As populações podem, assim, ver alterado o seu fundo genético, ou seja, o conjunto de genes que caracteriza a população, evoluindo de umá forma lenta e gradual.