Fatores Que Levam à Agressão

Já sabemos que existem mecanismos biológicos que intervêm nos comportamentos agressivos, mas tal não nos permite afirmar que a agressividade é transmitida por hereditariedade. Sabe-se que há hormonas e outras substâncias que, circulando no sangue, afetam o sistema nervoso ativando e inibindo a expressão da agressividade. Há estudos que relacionam os níveis de testosterona com os índices de violência: em indivíduos particularmente violentos, quando lhes são administrados medicamentos para baixar o nível da testosterona, diminui a sua agressividade.

Por razões de ordem biológica, social e psicológica, o álcool desencadeia respostas mais agressivas às provocações. Várias pesquisas desenvolvidas em diferentes países mostram que existe uma relação entre a embriaguez e os comportamentos violentos.

A temperatura muito elevada propicia mais comportamentos violentos. Estatísticas mostram que há mais crimes violentos e maus-tratos domésticos no verão do que no inverno, nos anos mais quentes do que nos mais frios, nas cidades onde a temperatura é mais elevada do que em que a temperatura é mais baixa, nos dias mais quentes do que nos dias mais frios. Estes registos vêm de encontro a conclusões experimentais que mostraram que, em contexto laboratorial, as pessoas submetidas a temperaturas mais elevadas reagiram mais violentamente às provocações.

O nível de agressividade varia de cultura para cultura: o psicólogo Oatley defendeu, na década de 90, que as culturas mais individualistas eram mais agressivas do que as coletivistas. Compreende-se que, numa sociedade em que a agressividade é valorizada, os indivíduos tendam a ser mais agressivos,

A familiaridade com que se exibem armas, as notícias frequentes sobre violência, a falta de realismo ao retratar o sofrimento das vítimas, os filmes e as séries em que a agressividade é o centro da ação, as características agressivas dos heróis, favorecem comportamentos agressivos. Ao longo dos últimos anos têm-se desenvolvido investigações em que se procura estabelecer uma relação entre o visionamento de filmes violentos pelas crianças e a agressividade do seu comportamento.

Poderemos dizer que, para além dos fatores que enunciámos que predispõem à agressividade, há fatores que advém de situações que provocam experiências aversivas. Estudos feitos em animais e em seres humanos indicam que as experiências negativas tendem a fazer com que os outros também sofram.

Ao abordarmos as teorias explicativas da agressão, referimos a frustração, que, sendo geradora de cólera, pode desencadear comportamentos agressivos. Outros autores consideram que mais do que a frustração são as provocações, os insultos e as humilhações que, afetando a auto-estima, motivam condutas agressivas.