Ciclos de Vida

O ciclo de vida consiste numa sequência de etapas por que passa um organismo desde a for­mação do ovo até ao momento em que ele próprio se reproduz, através da produção de gâmetas que darão origem a um ovo, que inicia um novo ciclo.

Os ciclos de vida dos seres que se reproduzem sexuadamente são condicionados pela ocor­rência dos dois fenómenos complementares que os caracterizam: a meiose e a fecundação. A fecundação dá início a uma etapa do ciclo de vida em que as estruturas dele resultantes são constituídas por células diplóides — a diplofase. Esta fase termina na meiose, que, por sua vez, dá início a uma etapa do ciclo de vida caracterizada pela presença de células haplóides — a haplofase —, que termina no momento da fecundação.

Apesar da diversidade de ciclos de vida, eles possuem em comum a complementaridade da meiose e da fecundação e uma alternância de fases nucleares ou alternância entre haplofase e diplofase. Os ciclos de vida distinguem-se, sobretudo, pelo momento do ciclo em que ocorre a meiose.

Existem basicamente três tipos de ciclos de vida:

Ciclo de vida haplonte

Neste ciclo de vida, a meiose ocorre imediatamente após a formação do ovo — meiose pós-zigótica. Isto faz com que a diplofase esteja limitada a uma célula – o ovo – e que todas as outras estruturas, incluindo o organismo adulto, pertençam à haplofase.

Ciclo de vida diplonte

Neste ciclo, a meiose ocorre antes da formação dos gâmetas — meiose pré-gamética. Este acontecimento deter-mina que os gâmetas sejam as únicas células da haplofase e que todas as outras estruturas, incluindo o organismo adulto, pertençam à diplofase.

Ciclo de vida haplodiplonte

Neste ciclo de vida, a meiose ocorre antes da formação dos esporos — meiose pré-espórica. A haplofase inicia-se com os esporos que, através de mitoses sucessivas, originam estruturas pluricelulares, os gametófitos, onde se formarão os gâmetas. Após a fecundação, o zigoto inicia a diplofase e origina uma entidade pluricelular diplóide. que na maioria das plantas é a planta adulta. Esta entidade constitui o esporófito que irá produzir, por divisão meiótica, os esporos. Neste ciclo de vida, além de urna alternância de fases nucleares (haplofase e diplofase), existe também uma alternância de gerações, a geração gametófita e a geração esporófita.