Ciclo Celular

Nos seres vivos multicelulares, o seu crescimento deve-se ao aumento do número e do tamanho de células que os constituem. Nestes organismos, a divisão celular permite também a regeneração de células ou partes de órgãos que foram danificados ou a renovação das que enve­lheceram e morreram. No caso do homem adulto, o seu crescimento pára, mas as divisões celulares continuam, assegurando a regeneração de células sanguíneas, da pele e dos pêlos, do revestimento do tubo digestivo, entre outros. Na maioria dos seres unicelulares, a divisão celu­lar conduz à reprodução do indivíduo, dando origem a duas células independentes, que irão constituir dois novos indivíduos.

Quer nos seres unicelulares quer nos pluricelulares, uma nova célula surge sempre por divi­são de uma célula que existia anteriormente. Esta célula, após um período mais ou menos longo de crescimento, irá sofrer divisão celular e originar duas células-filhas. Uma célula tem assim um momento de nascimento, na altura em que a célula que lhe deu origem terminou a sua divisão celular, e dura até ao momento em que, por sua vez, se divide em duas novas célu­las. O conjunto de transformações que uma célula sofre desde o seu aparecimento até ao momento em que sofre divisão denomina-se ciclo celular. O ciclo celular compreende duas etapas fundamentais:

  • Interfase — período compreendido entre o final de uma divisão celular e o início da divisão/ celular seguinte. É um período de crescimento intenso da célula devido às sínteses que ocorrem no seu interior, em especial a síntese proteica. Durante o período S da interfase ocorre replicação semiconservativa do DNA. Este fenómeno permite que as células passem a disp r de duas cópias exactamente iguais do seu DNA, com a consequente alteração da estrut a dos cromossomas, que passam a possuir dois cromatídios unidos pelo centrómero. No final da interfase, a célula atingiu o seu volume máximo e produziu todos os componetes necessários para entrar em divisão celular. Existem, contudo, células de determinados órgãos que, devido ao seu elevado grau de diferenciação, interrompem o ciclo celular, deixando de se dividir, como no caso dos neurónios, células do sistema nervoso, e das fibra.s_musculares, célu­las do tecido muscular, que, quando morrem, não são substituídas por outras.
  • Divisão celular — durante esta etapa ocorre a divisão da célula em duas células-filhas. Elas caracterizam-se por possuir um conjunto de cromossomas idêntico, em número, tamanho e forma — cariótiopo — ao da célula que as originou. A divisão celular das células eucarióticas inicia-se pela divisão do núcleo, mitose, seguida da divisão do citoplasma, citocinese.